6 – Alex Hamburger

Pedi o sonho ao Alex em uma mensagem. Alguns dias depois ele responde com um texto minucioso descrevendo o sonho. Para mim só vale ele contando ao vivo. Explico que o materializador não aceita texto, pois não consigo formar a imagem sem um contato direto. Tentamos marcar, mas com a dificuldade, decidimos que ele me conte por telefone mesmo. Assim ficamos quarenta minutos em um telefonema para ele me descrever o sonho.

 … a galeria gentil carioca criara um espaço para performance de artistas plásticos semelhante ao cep 20.000. ele mesmo participou apresentando algumas performances ali. mas agora a galeria lançava uma convocatória para um grande evento especial. ele se inscreve e fica ansioso em poder ter o espaço de mostrar o trabalho nos holofotes. vai pessoalmente na divulgação do resultado. todos os nomes são anunciados e ele não está entre os selecionados. muito frustrado, volta para casa. é um caminho de terra sinuoso e ele está morando em uma casa no subúrbio…

… superando as emoções negativas decide comparecer ao evento, mesmo tendo sido rejeitado. o teatro se parece ao cinema odeon. todo o público já está dentro na plateia. ele vai ao café do teatro que está vazio. a garçonete que o serve é um menina morena e baixa de feições humildes. ele pede ajuda, pois precisa faltar um dia do serviço e tem vergonha de pedir licença aos patrões. alex entra no teatro e encontra o ernesto neto sorridente e leva o pedido da moça a ele. ernesto responde afirmativamente e tira a garçonete para dançar “amanhã você não precisa vir trabalhar”…

… assistindo às apresentações ele vê o trabalho bem ruim de um conhecido seu que sequer é artista. volta o sentimento de frustração por ter sido excluído na seleção, porem repensando vê coerência na seleção do júri e que seu trabalho não se encaixava mesmo no recorte do evento…

Conta que acordou sobresaltado e que foi uma das poucas vezes nos últimos anos que perdera a hora. ele tinha uma reunião importante do outro lado da cidade. sai correndo pega um taxi e então recebe minha ligação perguntando o que tinha sonhado.

Depois de falar comigo, liga para a irmã para contar o sonho. Ela diz que tem saudade e que se emocionou com a foto de Michel vestido de Iemanjá que ele colocou no facebook.

5 – Erick Figueira de Mello

Erick foi o primeiro sonho encomendado, ou seja, que entra no materializador por desejo próprio e não porque eu sonhei com ele. Vou a seu escritório em um prédio na Gávea muito próximo de onde funcionou o Bar do Juca Amélio na década de 90. Ele me conta um sonho que o marcou e foi muito importante na sua infância e juventude e que se repetiu muitas e muitas vezes.

… ele é pequeno e tudo ao redor é grande. ou é de tamanho normal e tudo vai crescendo. pessoas prédios. tudo grande e arredondado. grande e crescendo ainda mais…

Ele não lembra histórias, só da imagem e da sensação. Não eram sonhos confortáveis, mas também não era violento e ele não sentia medo. Diz que tem até vontade de voltar a sonhar com isso. Depois me conta do sonho que teve esta noite. Faz um croqui com as três cenas em que toma banho nu na varanda; depois recebe uma refugiada judia bem magra e depois mais uma refugiada gorda que ele reconhece como uma prostituta que vira em uma suruba próximo de sua casa. Digo que melhor ficarmos com o primeiro impulso, que foi o sonho de infância, porque o primeiro tende a estar muito mais próxima do inconsciente do que quando temos tempo de julgar e analisar.

 

4 – Michel Melamed

Liguei para combinar de encontrar para receber o sonho. Já havíamos trocado mensagens sobre o assunto, então ao telefone disse “Bom dia, Michel, já sonhou?” Ele dispara várias interjeições de espanto e alegria “hoje, tive o sonho mais louco dos últimos tempos!”

… ele estava em casa e se lembra que matara a mãe. já fazia dois ou três anos que a matara a facadas e escondera o corpo em caixas de papelão. ele se surpreende pela naturalidade da lembrança, sem remorsos ou culpa. ele não tinha problemas morais com o fato, mas vivia o dilema de contar para irmã o acontecido. ela ainda espera o aparecimento do corpo como se a mãe tivesse sido dada como desaparecida. o corpo nunca ia aparecer porque ele jogara a caixa com o corpo no lixo…

Conta que acordou sobresaltado e que foi uma das poucas vezes nos últimos anos que perdera a hora. ele tinha uma reunião importante do outro lado da cidade. sai correndo pega um taxi e então recebe minha ligação perguntando o que tinha sonhado.

Depois de falar comigo, liga para a irmã para contar o sonho. Ela diz que tem saudade e que se emocionou com a foto de Michel vestido de Iemanjá que ele colocou no facebook.

3 – Marina Fraga

Vou a casa de Marina no dia do aniversário de Pedro, seu marido. Eles acabem de chegar das compras e organizam a casa para a festa. Ela diz que teve um sonho muito estranho. Pedro chega e ela engasga no meio da frase, mas continua contado. É um sonho erótico…

… ela estava em uma piscina cheia de macacos. é uma grande suruba de macacos. alguns macacos a perseguem ela nada fugindo. como os macacos não sabem nadar, ficam todos na beira de piscina e ela mais para o meio …

Diz que acordou e olhou o marido envergonhada do sonho. Pedro faz piada. Ela relaciona o sonho com uma série de palestras sobre animais que viram neste dia. e conversamos sobre outros assuntos. pouco depois sem o marido por perto ela conta que…

… com um dos macacos, que parecia um orangotango ela tem uma relação sexual intensa no meio da piscina. os outros macacos da piscina eram menores e de outro tipo…

2 – Susana Balán

Susana me conta este sonho antes do almoço.

… está em casa com o marido. é a sua casa mesmo, em new hampton, mas parece santa teresa ou em um morro onde se pode ver o mar. se aproxima uma grande tempestade com ondas gigantes. é evidente que tudo será destruído. eles entram no carro e fogem para manhattan. não há nenhuma garantia que sobrevivam a fuga. na verdade, é praticamente impossível sobreviver. eles se perguntam se vale a pena fugir ou é melhor esperar a tempestade em casa …

Ela diz que o sonho tem relação com conversas que teve recentemente com algumas  amigas sobre como cada um está envelhecendo, como cada um se prepara para a última fase da vida.

1 – Bianca Ramoneda

Logo quando surgiu a ideia de convidar pessoas que eu sonhasse para colaborar com o Materializador sonhei com Bianca. No sonho, encontramos em um café em uma sala circular de uma casa que parecia ser uma escola. Fazia muito tempo que não nos falávamos. Liguei para ela e marcamos de encontrar em um café chamado La Bicyclette. Vou caminhando e penso de novo no sonho em que desço da bicicleta para ir andando. Chego um pouco antes dela e sento para conversar com Ana e duas amigas enquanto espero.

Bianca chega alegre e enérgica. Conta que lembra os sonhos todos os dias e muitas vezes acorda cansada de tanto sonhar. Decide me contar o sonho que teve hoje.

… um grupo de pessoas posa para ser fotografado. parecem ser uma família. no centro uma mulher com panos de brilho de baixa qualidade abre os braços em uma pose de glamour. eles não percebem que estão diante não de um monumento, mas de um cenário precário de uma ópera decadente. ela observa de fora sem ser vista e pensa como eles podem levar a sério esta foto e não percebem que é tudo falso.

corte seco. ela manda o marido ir na frente de carro com o filho pequeno. mas logo de pois se arrepende e liga pedindo que voltem. ao que o marido responde que também se arrependeu e já está voltando. ele diz que já está junto ao posto de gasolina. ela percebe que também está em frente ao posto. atravessa a rua e entra no carro.

corte seco. a família visita uma loja de jogos antigos e brinquedos usados. eles procuram algum brinquedo que não esteja faltando peças. alexandre, seu marido deixa o filho com o dono da loja e combina de buscar só de noite. ela se irrita com ele, como pode deixar a criança na loja o dia todo? como ele vai comer, trocar fralda? ele vai sentir a falta da mãe…

ela diz que não costuma sonhar com grandes narrativas. são sempre flashes, fragmentos. A babá liga dizendo que seu filho está perguntando por mamãe e papai. Ela está esperando o marido sair do trabalho para voltarem juntos para casa. Como ele demora, ela vai de carro na frente.