22 – Domenico Lancellotti

Entrei em contato com Domenico que conta que tem dormido pouco e sem sonhos. Sua filha acaba de nascer e está acordando muito durante a noite. Uma semana depois ele me liga, que no meio de tudo isso teve um sonho que quer contar. Estou chegando de carro no Parque Lage e peço alguns minutos. Estaciono o carro para retornar a ligação.

… ele está no leme, bairro onde mora sua mãe e onde passou toda a infância e juventude. está na hora de ir embora. ele vai buscar o carro que está estacionado na praia entre o marius e a pedra do leme. só que o carro está parado não no asfalto ou no calçadão, mas na arreia fofa da praia. entra no carro e acelera bem lentamente, o carro tem dificuldade de se mover na arreia. ele avança devagar quando começam a passar motos desgovernadas em alta velocidade. as motos fazem zig-zague de maneira imprevisível. tem de tomar muito mais cuidado. acaba decidindo sair do carro e atravessar de volta ao calçadão andando. pega o carro que se tornou um animal pequeno, um cãozinho dormindo. com o carro nas mãos consegue superar os obstáculos e chegar na rua…

Ele gostou muito deste sonho porque lembra a infância, porque sente que só precisa ir com calma e cuidado. Gostou de pegar com a mão o carro, que é ele mesmo, pois quando dirige o carro é uma pele sua. Gostou de se pegar no colo a si mesmo e sentir que pode superar os obstáculos, que está conseguindo superar as dificuldades com o bebê pequeno.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *