19 – Clarissa Diniz

Marquei de encontrar Clarissa no MAR. Almoçamos no restaurante do museu. Conversamos um pouco sobre a vida e ela lê rapidamente as linhas da minha mão. Um leitura inteira pode levar horas, dependendo da mão e da pessoas, mas ela faz um resumo.

Ela teve filho a pouco e diz que escolheu contar um sonho de quando estava grávida.

… ela estava com o irmão. os dois são adultos, mas ele implica como na época de criança. ela não quer brigar, mas aguenta mais e explode gritando “eu te odeio” …

Acordou chorando muito. Não quer ter de odiar alguém que ama, mas era uma força além da sua escolha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *