12 – Bernardo Mosqueira

Eu já havia convidado bernardo a dar um sonho fazia algum tempo. Nos encontramos em uma abertura de exposição.

…um vento bateu em seus cabelos que ficaram de repente lisos. ele amassava o cabelo com as mãos para ver se os cachos voltavam. mas o vento vinha e o cabelo ficava totalmente liso de novo. ele queria seus cabelos de volta. os cabelos não muitos longos batem nos olhos. ele desesperado por estar perdendo algo muito fundamental repete para si mesmo: eu sou preto, eu sou preto, eu sou preto…

Diz que era uma sensação estranha de perda de uma parte de si, uma parte das suas possibilidade de ser. Coloca as mãos nas cabeça demonstrando o gesto e acha graça de si mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *