sonho 16.02.16

… é um apartamento grande com muitos móveis, sofás e mesas de centro por toda parte. há um corredor que leva a cama de empregada e ao lado uma porta para um banheiro de serviço que parece desativado. penso nas reformas que eu faria para a aproveitar melhor estes espaços. há na sala um outro corredor formado por uma coluna muito larga onde há um sofá. para chegar no sofá temos de pular por cima de um aparelho de tv fino que fica no chão, ao passar esbarro na tv, mas sem derruba-la. “é assim mesmo – escuto – esta tv foi escolhida [ara ficar aí porque é uma tv de bater” vejo do outro lado da sala uma grande tv de tubo desativada em baixo de uma mesa de vidro circular.

rodrigo amarante está no corredor da sala sentado no sofá. jogo tarô para ele e ele ri gargalha. fazemos uma filmagem em close dele rindo para usar em algum vídeo. a imagem é amarelada e alaranjada e conforme ele ri a cabeça entra e sai por baixo do enquadramento….

sonho 15.02.16

… vou na montagem de uma exposição coletiva na galeria luciana caravello. observo um trabalho da marina murta. uma maquete com bonecos sentados em meditação dentro de uma caixa branca com quatro aberturas de vidro por onde se vê a cena. tenho de devolver uma obra do acervo que peguei emprestado, são dois discos um de metal e outro de madeira e algo mais. deixo a peca desmontada sobre uma mesa e aviso a julia que está ajudando a uma senhora. converso com melamed que está muito animado com alguma descoberta que acaba de fazer…

sonho 30.05.15

… são paulo. dirijo um carro. ao meu lado bruno zenni que vai me apontando o caminho nas ruas movimentadas. várias ruas trocaram de mão. ele conta que está trabalhando sobre vários textos antigos que escreveu quando era adolescente. a ingenuidade o ajudava. mais do que escrever ele era poesia. me animo a escrever como quando era jovem. entro em uma rua errada. vem um táxi na contra mão. freio. volto. achamos graça da cidade …

… vou ao ateliê do fernando dela roque pedir um trabalho para participar de uma exposição. ele fala das músicas que está fazendo. que eu podia pedir um ritmo novo. digo que qualquer obra dele vai ter a ver com o tema. a namorada dele loura e magra deita nas minhas costas. fernando parece ter ciúmes. digo que podemos fazer trocas energéticas frias que não é preciso fazer sexo. respiro ao seu lado. ele não parece estar satisfeita e nem o fernando…

… penso em escrever este sonho. pego meu caderno (este), mas alguém já escreveu nele até o final. procuro um outro que também já está cheio. vou ao escritório onde há vários cadernos cheios. pego folhas brancas novas, mas não encontro a caneta. domênico está no computador, mostra seu clip. ele vestido de noiva canta uma música lenta. a música fica tocando no ar. Tento me concentrar ” como era aquele sonho mesmo?”  Lembro do cabelo e sua namorada, do zenni que dizia que é poesia. entram pessoas no quarto. peço que saiam. fecho as duas portas. volto para escrever, mas perdi as folhas. procuro nas estantes. um cão negro vem e enfia o focinho comendo algo na minha mochila. expulso o cão que tenta voltar várias vezes. mais gente vem falar comigo. “termino isso em cinco minutos e vou” respondo já nervoso. pego uma caneta que não funciona. jogo fora. pego outra, é uma caneta de grafite em pó, só que está quebrada na minha mão sujando o papel. já não lembro do sonho. procuro outra caneta….

… cabelo me chama para andar pela praia vermelha. me mostra a estátua do soldado ferido.

sonho 01.06.15

… um grupo de ativistas veganos que expor as contradições de rakufo. quer fazer uma entrevista onde ele se contradiga por gostar de carne e outras coisas. dirijo um jipe que quebra na estrada. ficamos rakufo e eu presos em uma zona de deserto …

sonho 08.05.15

… pedro victor faz uma performance no largo da carioca. usa uma peruca channel loira ou ruiva. fala algo e gira em torno do próprio eixo. a peruca desaparece. a voz muda e fica muito grossa. ele fala por um microfone de cabeça…

sonho 09.05.15

… vou a bienal de são paulo. estou só de cueca e camisa.paro logo na entrada. procuro na mochila e percebo que só levei para viajar coisas que não vou usar. dois computadores, pastas, umas coisas do meu filho e esqueci de trazer roupas. encontro denise alves que me parabeniza por um trabalho do opavivará em uma revista. pergunto que trabalho? ela responde que é um sobre poesia em para-choque de caminhão…

sonho 03.05.15

… encontro clarissa. digo “lembro do sonho que tive com você” e conto sobre a reforma na casa e um girau que montamos. “era um duplex e fizemos um puxadinho chic”, diz ela. e lembramos que ainda ela me deve uma leitura de mão…

sonho 21.04.15

… ranjo os dentes. meu maxilar está rígido e mal consigo movê-lo. sinto algo estranho dentro da boca. são fragmentos de dentes. os dentes do fundo da boca saem em grandes blocos…

sonho 17.04.15

… as coisas são mais simples, digo. danço uma valsa com sofia em um pequeno hall entre escadas de madeira circulares de um prédio antigo. ela usa salto e um vestido preto e branco. está feliz e diz “ensina me a viver.” respondo”a expectativa diminui a felicidade. se acontece o que você espera, você já sabia e se não acontece, fica frustrada” ela para de dançar e pergunta “por quê?”…

… vou com um funcionário do parque lage buscar anna bella para assistir minha defesa de mestrado. ele me conta que se mudou para os apartamentos da escola que são ótimos. anna bella ao telefone fala com uma amiga “não é a palestra do século xix, é um artista novo. me encontra lá que vou de taxi.” seguimos com ela e pegamos o taxi juntos…

sonho 04.04.14

… uma unidade de saúde. espero do lado de fora jaya que foi a uma sessão de terapia coletiva com michel groisman e gabriela duvivier. michel e gabi passam rápido. gabi tem tem o braço em uma tipoia, ela apanhou da jaya na terapia e está revoltada. é uma terapia que te deixam expressar todos os sentimentos. jaya vai atrás dela para pedir desculpas ou algo assim. vou a cada deles, mas não os encontro. no apartamento está uma mulher magra como uma modelo e de longos cabelos lisos. ela é casada com o designer de joias antônio bernardo. converso com ela que me mostra uma joia dentro de uma embalagem. é um chaveiro pão de açúcar em ouro em finos planos perpendiculares. me impressiona a embalagem, um cilindro de acrílico iluminado com duas lentes uma no topo e outra entre a lâmpada e e a joia. digo que quero copiar esta embalagem para as moedas do “seu troco obrigada”…